Flores e responsabilidade social

O casamento realizado no Lajedo dia 16/07, e já mencionado aqui, rendeu uma parceria com o GAPI (Grupo de Apoio à Pessoas Invisíveis)*: todas as flores do evento foram reutilizadas dia 17 na decoração da igreja do casamento de Pablo (ex-invisível, agora totalmente reintegrado à sociedade). Flores que iriam de imediato para compostagem, puderam levar beleza e emoção a um novo ambiente.

É sempre uma satisfação prolongar a vida útil dos arranjos de festas ainda em perfeito estado. ONGs e instituições já se dedicam a isso. Um dos projetos mais bacanas é o Flor Gentil, em São Paulo, que presenteia idosos em asilos com buquês feitos de flores vindas de eventos. Aqui no Rio, costuma acontecer a interação espontânea entre as casas de festas e a comunidade de entorno. Igrejas, projetos e escolas locais realizam a decoração de eventos beneficentes através das doações de flores dos parceiros. Uma forma conjunta de cooperar com as boas causas.

* o GAPI é um projeto da Igreja Evangélica Congregacional de Curicica, que atua na recuperação de moradores de rua.


Igreja decorada no casamento de Pablo, ex-invisível que hoje atua como voluntário no GAPI.


Flores de um casamento realizado no Lajedo levando beleza a novas núpcias

Compartilhe este post

Comentários

Pesquisar
Seguimos
Receba nossas notícias